Busca

Na sexta-feira, 27 de outubro, Dia de oração, jejum e penitência, pela paz Na sexta-feira, 27 de outubro, Dia de oração, jejum e penitência, pela paz

Dia de Oração pela Paz: Costa Rica, bispos aderem ao apelo do Papa

Às 18 horas da próxima sexta-feira, 27 de outubro, "poderemos nos unir em uma hora de oração para implorar a paz no mundo". É o que escreve em uma nota a Conferência Episcopal da Costa Rica. A mensagem diz, entre outras coisas: "Estamos impressionados sobretudo com a crescente violência que causa tanta guerra e destruição, a violência que tira tantas vidas também aqui em nosso país, a violência que gera mais violência e se torna uma grande espiral que ameaça mais desolação e morte"

Vatican News

Ouça a reportagem e compartilhe

"Nós nos unimos ao apelo do Papa Francisco por um Dia de jejum e oração, de penitência, pela paz, na próxima sexta-feira, 27 de outubro, aberto a outras denominações cristãs e inter-religiosas, a todas as pessoas de boa vontade. Às 18 horas, horário de Roma, poderemos nos unir em uma hora de oração para implorar a paz no mundo". É o que escreve em uma nota a Conferência Episcopal da Costa Rica, em uma mensagem assinada por seu presidente, dom Javier Román Arias, bispo de Limón.

A mensagem diz: "Estamos impressionados sobretudo com a crescente violência que causa tanta guerra e destruição, a violência que tira tantas vidas também aqui em nosso país, a violência que gera mais violência e se torna uma grande espiral que ameaça mais desolação e morte. Essa violência está enraizada no coração humano, que é movido pela paixão de tomar para si, de dominar os outros para seus próprios fins, de impor suas próprias opiniões para criar uma sociedade a seu gosto. O ressentimento que se desencadeia com o agressor continua o ciclo de violência".

Interromper a espiral de violência

Os bispos continuam: "Diante das guerras na Ucrânia, em Israel e na Palestina, diante de qualquer guerra, diante das mortes violentas em nosso próprio país, vamos nos manifestar para interromper a espiral de violência, para levar as pessoas envolvidas ao diálogo e encontrar caminhos alternativos de reconciliação, para buscar garantidores que ajudem a realizar os acordos que restabelecerão a paz."

"Vamos também partir novamente, iluminados por nosso encontro com o Ressuscitado e animados por seu Espírito. Saiamos com os corações ardentes, os olhos abertos, os pés na estrada, para sermos mensageiros da reconciliação e da paz em meio a um mundo ferido, expressando um cuidado sadio e convidando todos a trilharem juntos no caminho da paz e da salvação que Deus, em Cristo, deu à humanidade".

(Sir)

Obrigado por ter lido este artigo. Se quiser se manter atualizado, assine a nossa newsletter clicando aqui

24 outubro 2023, 11:00