Busca

Cardeal Pietro Parolin após a entrega do Prêmio Ratzinger a Pablo Blanco Sarto e Francesc Torralba. Cardeal Pietro Parolin após a entrega do Prêmio Ratzinger a Pablo Blanco Sarto e Francesc Torralba.  (VATICAN MEDIA Divisione Foto)

Prêmio Ratzinger, Parolin: o legado de Bento XVI tornará a Igreja fecunda

Os prêmios concedidos pela Fundação Ratzinger, que este ano foram conquistados pelo teólogo Pablo Blanco Sarto e pelo filósofo Francesc Torralba, foram entregues na Sala Regia do Palácio Apostólico. O secretário de Estado entregou o prêmio, lembrando a importância do pensamento do Papa Emérito entre razão e fé. Padre Federico Lombardi: ele nos ensinou a buscar e encontrar a verdade.

Michele Raviart – Vatican News

Uma atitude para "mover-se voando alto com as duas asas abertas da razão e da fé, embora sempre com humildade, esforço e perseverança". Esse é o legado, "vivo e a frutificar no caminho futuro da Igreja", que Bento XVI deixa pouco menos de um ano após sua morte. Isso foi destacado pelo cardeal Pietro Parolin, durante a entrega, na Sala Regia do Palácio Apostólico, do Prêmio Ratzinger 2023, a primeira edição após sua morte. "Pastor e mestre da fé" e "exemplo luminoso e corajoso de diálogo", descreveu Parolin, que recordou seu magistério "caracterizado por uma consciência da situação cultural e espiritual do mundo", das tensões entre os povos e entre o homem e a criação.

Ouça e compartilhe

Continuidade com Francisco

Temas e problemas, lembrou Parolin, sobre os quais Bento XVI contribuiu para compreender as razões profundas e cujo desenvolvimento - pensemos na encíclica Caritas in Veritate e suas influências na Laudato si' e na Fratelli Tutti - está em forte continuidade com o magistério de Francisco. Um guia também para enfrentar a crise dos abusos sexuais cometidos por membros do clero, lembrou o secretário de Estado, "cuja gravidade ele já tinha visto como cardeal prefeito e com a qual teve que lidar durante todo o seu pontificado". "Ele o fez", reiterou, "com íntimo sofrimento, mas com humilde respeito pelas vítimas e pela verdade, guiando a Igreja pelos caminhos da escuta, da justiça e do rigor, da conversão e da prevenção". Ele via o essencial "com ordem e clareza", recordou ainda, até a "crescente fragilidade da velhice vivida na oração". O próprio gesto de renúncia foi definido por Parolin como "uma síntese admirável de uma visão lúcida e razoável da situação, de responsabilidade no exercício do governo e de humildade diante de Deus e dos homens".

Blanco Sarto: Ouvi a música do Mozart da teologia

Os vencedores do Premo Ratzinger 2023, concedido anualmente desde 2011 pela Fundação vaticana de mesmo nome a "acadêmicos que se distinguiram por méritos particulares em publicações e/ou pesquisas científicas", foram os espanhóis Pablo Blanco Sarto e Francesc Torralba Roselló. Do primeiro, teólogo da Universidade de Navarra, o cardeal Luis Ladaria, prefeito emérito do Dicastério para a Doutrina da Fé, recordou o volume de 2011 A teologia de Ratzinger, onde "basta uma olhada para ter uma ideia da amplitude do pensamento de Ratzinger: a beleza, a liturgia, a Igreja, a pessoa, a fé, o amor, o ministério, Maria, Jesus Cristo". "Se ele foi o Mozart da teologia, acho que já ouvi essa música", disse o professor Blanco Sarto, que dedicou grande parte de seus estudos a se aprofundar no pensamento do Papa teólogo. "O que me chamou a atenção", disse ele, "é a dimensão vital, existencial e hermenêutica de seu pensamento", juntamente com seu realismo e "linguagem totalmente acessível".

Torralba Rosellò: ampliou o conceito de razão

Ao longo dos anos, lembrou o cardeal Gianfranco Ravasi, presidente emérito do Pontifício Conselho para a Cultura, o Prêmio Ratzinger ampliou sua dimensão da teologia às artes, ao direito, à sociologia e à filosofia, áreas todas abordadas pelo pensamento do Papa emérito. O prêmio concedido ao filósofo Francesc Torralba Rosellò, professor da Universidade Ramon Llull, em Barcelona, deve ser entendido nesse sentido. Ratzinger ampliou o conceito de razão moderna, disse o premiado, "acrescentando a medida do dom e acrescentando a gratuidade". A razão, para Bento, não pode ser reduzida apenas ao verificável e ao experimental. Toda metafísica seria excluída, enquanto fé e razão são fundamentais para a construção do amanhã.

Lombardi: ele nos ensinou a buscar e encontrar a verdade

"Joseph Ratzinger nunca teve a intenção de construir seu próprio sistema de pensamento ou de criar sua própria escola, mas nos ensinou a buscar e encontrar a verdade com a força da razão e a luz da fé, mantendo sempre a razão 'aberta', no diálogo entre as pessoas, as disciplinas e as grandes tradições religiosas", explicou na abertura o padre Federico Lombardi, presidente da Fundação Ratzinger. "Nos tempos dramáticos em que vivemos", continuou o padre Lombardi, "é a própria dignidade da pessoa e o significado de sua vida e de seu ser no mundo que estão sendo postos à prova em seus fundamentos" e, nesse sentido, o Papa Ratzinger "esteve bem consciente das possibilidades e dos riscos do caminho da humanidade, bem como da missão da Igreja para sua salvação. Ele nos leva a entrar com humildade e coragem no nível mais profundo, a encontrar e redescobrir pontos de referência comuns sólidos e indispensáveis".

Oração matinal no túmulo de Bento XVI e audiência com Francisco

Lombardi também relembrou os encontros que antecederam a cerimônia de premiação. Pela manhã, os presentes na cerimônia se reuniram em oração nas Grutas Vaticanas, no túmulo de São Pedro e no túmulo de Bento XVI. "Juntos pedimos ao Senhor", enfatizou o presidente da Fundação, "que Ele o recompense por seu serviço, mas também que seu legado espiritual e cultural continue a dar frutos preciosos para a Igreja, para nós e para o bem da humanidade. De fato, pensamos que é nosso dever cultivar não apenas na reflexão cultural, mas também na comunhão espiritual e na oração, o senso da presença viva e inspiradora desse nosso grande professor e pastor". Em seguida, os ganhadores do prêmio foram recebidos pelo Papa Francisco.

No dia 29 de novembro, foi realizado o primeiro encontro do projeto de estudo "Legado de Bento XVI" na Pontifícia Universidade Gregoriana, que será concluído na próxima primavera em Indiana, nos Estados Unidos, sede De Nicola Centre da Universidade de Notre Dame, que organizou o evento e se une à rede de universidades que colaboram com a Fundação.

Obrigado por ter lido este artigo. Se quiser se manter atualizado, assine a nossa newsletter clicando aqui

01 dezembro 2023, 11:52